16/10/2021  19h13
· Guia 2021     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Crônicas
21/09/2021 - 06h33
Ilhabela sempre
Maria Angélica de Moura Miranda
 

Ilhabela é uma inspiração para mim, há muitos anos acompanho o reconhecimento e o respeito pela Cultura Caiçara. Fui testemunha da história da família Pinna, com todo legado que eles ainda nos apresentam e também conheci de perto dona Iracema França, a nossa Dedé, que reverenciou até o fim da vida a importância do folclore de Ilhabela em todas as suas manifestações.

Quantas vezes atravessei esse canal para registrar uma história, como profissional e como caiçara, que me faz ter um olhar especial para todo tipo de assunto. Muitos personagens acompanho desde a infância, e hoje vejo que atuam com compromisso, nos mínimos detalhes, pela importância de fazer quem chega entender e se engajar na Cultura. A Congada de Ilhabela é um exemplo disso!

A ilha é mesmo um grande laboratório, onde algumas pessoas investiram seus sonhos: a arquitetura pós-caiçara de Chu Ming Silveira, o Celafiscs do Vitor Matsudo, o Colégio São João do Ângelo, o Projeto Pés no Chão do Emiliano, a Associação Barreiros da Maria Silvia, a Baía dos Vermelhos do dr. Samuel, quantas histórias lindas!

No traço forte da Cultura Caiçara encontramos marcas das quatro ocupações que aconteceram no Litoral Norte, a Cultura Indígena, a Européia (escravagista), a Caiçara e a Turística esse é o nosso maior patrimônio.

Os jovens de Ilhabela devem entender a importância que esse arquipélago tem na história do Brasil, e mais ainda, na história particular de cada cidadão que, chegando aqui, vê caminhos dos mais simples aos mais sofisticados projetos. Há quem queira simplesmente seguir a profissão dos pais e resistir no cotidiano da pesca, mas também se um veleiro atravessar o seu caminho, ele poderá conhecer o mundo todo.

Na música os Regionais registraram a sua época e agora até grandes orquestras nos trazem suas partituras. 

Ilhabela é uma bailarina com os braços abertos sobre o continente nos trazendo proteção e abrigo. Esse canal que nunca alcançou economicamente toda riqueza que poderia trazer para essa região, traz sem dúvida, na cultura dos seus moradores na luta pela preservação, engajamento social e turístico, uma bela história que a cada ano ganha novos capítulos.


Nota do Editor: Maria Angélica de Moura Miranda é jornalista, foi Diretora do Jornal "O CANAL" de 1986 à 1996, quando também fazia reportagens para jornais do Vale do Paraíba. Escritora e pesquisadora de literatura do Litoral Norte, realiza desde 1993 o "Encontro Regional de Autores".
PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "CRÔNICAS"Índice das publicações sobre "CRÔNICAS"
15/10/2021 - 05h43 Engenho: uma viagem ao passado!
14/10/2021 - 05h38 Mesa posta
13/10/2021 - 06h18 Fotos de crianças
13/10/2021 - 06h14 Lembrando do que ficou para trás
12/10/2021 - 05h23 Criança, seu dia e sua existência
10/10/2021 - 05h47 Dois lados e sombra
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2021, UbaWeb. Direitos Reservados.