17/05/2021  06h23
· Guia 2021     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
COLUNISTA
Marcelo Sguassábia
12/04/2021 - 06h15
Jogo de cartas
 
 

De cara, posso antecipar com segurança que você pensou errado. Não se trata de buraco, pôquer, blackjack, truco, pif-paf, rouba-monte ou outro jogo onde se utilizam baralhos. É xadrez. Mais especificamente, é o chamado xadrez epistolar ou postal, quando dois enxadristas, vivendo em diferentes locais do planeta, movem suas peças por meio de cartas enviadas um ao outro via correios - o que faz com que semanas e até mesmo meses separem um lance do outro. A modalidade é centenária e a movimentação das peças, nos primeiros séculos de prática, podia ser feita também através de mensageiros a cavalo, pombos-correio e telégrafo.

Uma típica partida de xadrez epistolar costuma durar meses e até anos. Recebida a correspondência contendo a jogada do oponente, o jogador da vez tem alguns dias para analisar e definir o movimento de resposta. A mais longa destas batalhas, pelo menos dentre as que foram oficialmente acompanhadas, se estendeu por 53 anos. E não chegou a terminar, pois um dos jogadores morreu antes do xeque-mate.

Acredite se quiser. Mais de meio século para que a partida acabasse em um melancólico empate!

Mas se o xadrez epistolar não é um jogo que costuma provocar espetaculares descargas de adrenalina, outros torneios com praticantes remotos, espalhados pelos quatro cantos do globo, estão ganhando espaço e adeptos a cada dia.

Benjamin Hidden, presidente da Associação Dinamarquesa dos Jogadores de Esconde-Esconde, relata nas últimas semanas uma procura descomunal pela modalidade eletrônica do jogo. Tamanho interesse exigiu que se criasse às pressas uma sub-associação, a ADJE-E-e (Associação Dinamarquesa dos Jogadores de Esconde-Esconde-eletrônico). Para participar, o interessado deverá possuir câmera de segurança ligada nas imediações de sua residência, a fim de que os outros competidores consigam, remotamente, localizar o seu esconderijo.

Esta é uma obra de ficção.


Nota do Editor: Marcelo Pirajá Sguassábia é redator publicitário em Campinas (SP), beatlemaníaco empedernido e adora livros e filmes que tratem sobre viagens no tempo. É colaborador do jornal O Municipio, de São João da Boa Vista, e tem coluna em diversas revistas eletrônicas.
PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "CRÔNICAS"Índice das publicações sobre "CRÔNICAS"
16/05/2021 - 06h25 Amizade desfeita
14/05/2021 - 06h08 No banco da praça
13/05/2021 - 05h13 O primeiro beijo
12/05/2021 - 06h16 A serenidade do amor materno
11/05/2021 - 05h46 Mais pedaladas de avós
10/05/2021 - 07h40 Divina confirmação
ÚLTIMAS DA COLUNA "MARCELO SGUASSáBIA"Índice da coluna "Marcelo Sguassábia"
03/05/2021 - 06h22 Love me tender
20/04/2021 - 06h27 Contrassensos
06/04/2021 - 06h27 Ô YouTube, tenha modos...
29/03/2021 - 06h55 A invenção do Dr. Gylson
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2021, UbaWeb. Direitos Reservados.