31/07/2021  19h44
· Guia 2021     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Medicina e Saúde
01/06/2021 - 06h12
Dia internacional do pé torto congênito
 
 
3 de junho: Data lembra a importância do diagnóstico ainda durante a gestação

Popularmente conhecido como “pé virado para dentro”, o pé torto congênito é uma má formação que pode ser descoberta ainda durante a gravidez. No entanto, a confirmação só é possível após o nascimento do bebê por meio de um exame físico, não sendo necessário realizar qualquer outro exame de imagem.

Segundo o ortopedista pediátrico David Nordon, o pé torto congênito pode ser revertido desde que o tratamento seja feito de acordo com a orientação médica. “Atualmente, a técnica mais indicada é o método de Ponseti, que consiste no uso de gesso seriado e, posteriormente, uma órtese. Cirurgias como fazíamos antigamente são métodos de exceção”, explica o médico, que também é professor da disciplina de Saúde Pública da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Campus Sorocaba - PUC Sorocaba.

“As causas do pé torto ainda são desconhecidas e bastante discutidas. Alguns pesquisadores acreditam que essa condição é essencialmente genética e que, ao longo do desenvolvimento do bebê, na gestação, há a ativação de genes responsáveis por essa condição. Outra teoria também aceita e discutida é a de que o colágeno que fica na parte de dentro da perna e do pé é defeituoso leva a um membro mais fino, mais curto e um pé com uma torção para dentro”, comenta o médico.

Nordon ainda conta que apesar de existirem várias hipóteses a respeito da ocorrência do pé torto, uma coisa é certa: o tratamento deve ser iniciado cedo para garantir a qualidade de vida da criança. “Um tratamento precoce e bem feito leva a um pé basicamente normal na maioria dos casos. Aos quatro anos, a criança conclui o uso da órtese e passa a ter uma vida normal”, finaliza.


Nota do Editor: David Nordon é médico ortopedista pediátrico pelo HC FMUSP - professor da disciplina de Saúde Pública da PUC-SP (Campus Sorocaba) e de Ortopedia do Estratégia MED (curso preparatório on-line para provas de Residência Médica), preceptor de Ortopedia Pediátrica do Hospital do Pari e pesquisador do Instituto de Ortopedia do Hospital das Clínicas (HCFMUSP). Apresenta semanalmente o quadro de Saúde "O Doutor e Você", da Rádio Ação Brasil.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "MEDICINA E SAÚDE"Índice das publicações sobre "MEDICINA E SAÚDE"
28/07/2021 - 05h42 Os 3 passos de um skincare diurno para iniciantes
26/07/2021 - 06h31 Síndrome do impacto do ombro
25/07/2021 - 05h55 A importância de higiene das máscaras
23/07/2021 - 06h30 Low fodmap: já ouviu falar?
18/07/2021 - 06h20 Quando é preciso fazer uma cirurgia laparoscópica
16/07/2021 - 07h21 Saúde ocular das crianças - Aulas on-line
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2021, UbaWeb. Direitos Reservados.