29/05/2022  06h09
· Guia 2022     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Medicina e Saúde
06/01/2022 - 05h58
Brincar ao ar livre faz bem para os olhos
 
 
Estudos apontam que a luz solar é essencial para prevenir o crescimento alongado do olho, fator de risco para a miopia

As crianças estão de férias e esse é um ótimo motivo para incentivá-las a brincar ao ar livre, já que os benefícios são inúmeros. Mas, além de fazer bem para a saúde física e mental, passar mais tempo ao ar livre também contribui para a saúde ocular, especialmente em relação à miopia.

De acordo com a oftalmopediatra Dra. Marcela Barreira, especialista em estrabismo, a explicação é que além de tirar as crianças das telas, cujos malefícios já são bem documentados, a prática de atividades ao ar livre promove o contato com os raios solares.

“Estudos ao longo do tempo mostraram que os raios solares estimulam a produção da dopamina. Trata-se de um neurotransmissor que previne que o olho cresça alongado. Um olho alongado leva à distorção do foco de luz que entra no globo ocular, causando a miopia”, explica.

Outro benefício relatado pela oftalmopediatra é que em lugares abertos, a criança usa a visão de longe, o que também é benéfico para a saúde ocular.

“Vale lembrar que a recomendação de estimular atividades ao ar livre também é voltada para quem já tem a miopia instalada. Nesses casos, a ideia é prevenir o aumento do grau”, explica Dra. Marcela.

Casos de miopia aumentaram na pandemia

Nos últimos anos, o aumento dos casos de miopia tem chamado a atenção dos especialistas. A principal causa é o uso prolongado dos dispositivos eletrônicos. Desde março de 2020, devido à pandemia, a incidência da miopia duplicou, passando de 11,6% a 29,6%. Essa foi a descoberta de um estudo com 1.800 crianças em Hong King, publicado no British Journal of Ophtalmology.

Outro estudo, publicado no Journal of the American Medical Association chegou a conclusões parecidas. Nessa pesquisa, os autores apontaram que em comparação com os cinco anos anteriores à 2020, a chance de uma criança desenvolver a miopia era três vezes maior.

Mudança de hábitos

Para Dra. Marcela, é preciso mudar alguns hábitos no dia a dia das crianças. Caso contrário, o aumento de casos de miopia será exponencial nos próximos anos.

“Tudo é uma questão de hábito. Podemos notar que nas gerações anteriores aos dispositivos móveis não havia tantos casos de miopia. Ou seja, agora precisamos mudar o hábito de passar horas nas telas, fazendo um movimento oposto ao que estamos acostumados”.

Bom senso e equilíbrio

Como não é possível eliminar as telas do dia a dia das crianças, é preciso chegar num equilíbrio entre o tempo voltado para o uso dos dispositivos eletrônicos e as atividades ao ar livre, os esportes, a leitura etc. “Vale lembrar que crianças menores de 2 anos não devem ser expostas a tablets e celulares”, finaliza Dra. Marcela.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "MEDICINA E SAÚDE"Índice das publicações sobre "MEDICINA E SAÚDE"
27/05/2022 - 06h43 Uso do cigarro eletrônico cresce entre jovens
24/05/2022 - 06h14 Dor de cabeça é sinal de pressão alta?
23/05/2022 - 06h21 Gripes e resfriados
22/05/2022 - 06h36 Raiva humana: médico tira dúvidas sobre doença
20/05/2022 - 06h28 A saúde dos idosos na chegada do inverno
14/05/2022 - 06h03 Trocar pão por tapioca ajuda a emagrecer?
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2022, UbaWeb. Direitos Reservados.