26/11/2020  15h53
· Guia 2020     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Opinião
25/10/2020 - 06h58
Nova configuração de festas infantis
Carlos Alberto Holdefer
 

O ano de 2020 realmente está diferente dos demais. A nova realidade, nos traz desafios, novidades, medos, incertezas e o tão temido desemprego. Um setor muito prejudicado foi o setor de eventos, e as animações de festas infantis não fugiram a esta regra. Muitos profissionais da área de recreação estão sem fonte de renda, o que compromete a sobrevivência e subsistência de muitas famílias brasileiras.

Esta situação atingiu em cheio outra categoria: os pais. Comemorar o aniversário dos filhos sem a presença dos amigos e familiares, e sem as tão esperadas brincadeiras realizadas pelo animador, pode ser traumático para uma criança, sobretudo se os pais não usarem a criatividade, inovando nessa nova configuração de “festa”. É comum reunir a família e amiguinhos para cantar parabéns pelas ferramentas de chamada de vídeo. Apagar a vela também mudou, e agora, é pertinente deixar de lado o famoso sopro ao fazer os pedidos.

Essa realidade exige um formato inovador para realizar atividades recreativas que até então aconteciam com a criançada correndo em amplos espaços e o contato físico era primordial. A maior alegria dos pais era assistir a essa cena, cheios de orgulho pelas relações de amizade que seus filhos tinham formado.

Com a pandemia, os animadores de festas infantis passaram a oferecer a animação remota. Cada criança de sua casa e o profissional dando os comandos das provas que podem ser muito divertidas.

Uma gincana remota é uma excelente opção para este tipo de ação. A elaboração de caça a objetos e desafios que a criança poderá cumprir dentro de casa é uma maneira divertida de passar esses dias angustiantes e monótonos, tudo isso de maneira virtual. Porém, o profissional deve ter alguns cuidados no momento de propor essas atividades para não dificultar a realização das provas, como consultar a família contratante para que não haja constrangimentos e para que todas as crianças estejam em igual condição de cumprir os comandos propostos pelo animador.

Com aquela dose de ânimo, dedicação, inovação e tempo para produzir atividades prazerosas, pais, crianças e toda a família recordarão desses momentos difíceis com mais leveza e as dificuldades que surgiram trarão novas possibilidades de aproximação das famílias e amigos, mesmo pós pandemia.


Nota do Editor: Carlos Alberto Holdefer é professor dos cursos de bacharelado e licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Internacional Uninter.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "OPINIÃO"Índice das publicações sobre "OPINIÃO"
26/11/2020 - 06h00 Voo Simples: novos ares na aviação
26/11/2020 - 05h56 Estudo e pandemia: expectativas e realidade
25/11/2020 - 06h42 A Covid-19 depois das eleições
25/11/2020 - 06h38 Saia do PowerPoint: é hora de agir
24/11/2020 - 06h01 O Brasil pode crescer com inteligência política
24/11/2020 - 05h57 O voto dos idosos
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2020, UbaWeb. Direitos Reservados.