26/10/2020  18h48
· Guia 2020     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Medicina e Saúde
20/09/2020 - 07h20
Retomada de atividade física requer cuidados
 
 
No caso das corridas, por exemplo, o aquecimento e alongamento são essenciais para evitar lesões, ressalta especialista da ABTPé

Aos poucos, algumas atividades vão retomando após serem totalmente interrompidas por conta da pandemia. Com a reabertura de academias e espaços para práticas de modalidades esportivas alguns cuidados precisam ser observados para evitar nova parada. Para quem pensa em retomar os exercícios físicos após seis meses sem se exercitar, o desafio é voltar ao ritmo com o menor risco possível de lesões e, por isso, a retomada requer cuidados, salienta o presidente da ABTPé (Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé), José Antônio Veiga Sanhudo.

Nos consultórios, os especialistas observam que as rupturas do tendão de Aquiles, por exemplo, são habitualmente muito mais frequentes nos meses de outubro, novembro e dezembro de cada ano, quando os indivíduos que estavam sedentários durante o inverno retomam as atividades esportivas sem os devidos cuidados.

“É importante retomar os treinos sob orientação de um profissional e de forma gradual, fazendo os exercícios com uma intensidade ou carga menor do que estava acostumado, para que o corpo possa se readaptar. A retomada das atividades na intensidade prévia à parada pode causar fortes dores musculares e lesões sérias, com comprometimento desta retomada”, ressalta Sanhudo.

O alongamento antes do treino, embora dispensado por alguns educadores físicos, é importante na visão do especialista, pois prepara o corpo para o esforço, diminui a tensão das estruturas musculotendíneas e tem por objetivo minimizar lesões, como o estiramento ou mesmo a ruptura destas estruturas.

O presidente da ABTPé recomenda que a retomada seja gradual, respeitando a regra de reiniciar os exercícios físicos com 50% da intensidade e 50% da carga que vinha realizando antes da parada, e aumentar não mais do que 10% por semana. “Com este cuidado, as chances de lesão são muito menores”, pontua.

Para quem deseja retornar às corridas, fazer exercícios para os músculos dos pés é essencial, ressalta o especialista. “O pé é o primeiro amortecedor na corrida, mas ele precisa estar com a musculatura bem condicionada para exercer essa função, do contrário, o corpo tende a sofrer mais com o impacto de cada passada”, fala.

Treinos de propriocepção (equilíbrio) são extremamente úteis antes da retomada, para minimizar lesões, especialmente as entorses. “Andar mais descalço também é uma opção para fortalecer os pés, pois a sola é repleta de sensores que ajudam o cérebro a controlar melhor o movimento e o equilíbrio”, explica Sanhudo.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "MEDICINA E SAÚDE"Índice das publicações sobre "MEDICINA E SAÚDE"
25/10/2020 - 07h03 Câncer de mama: como afastar esse mal?
24/10/2020 - 06h58 Saúde integral da mulher: essencial
23/10/2020 - 07h04 Devo me preocupar 24h com a minha postura?
21/10/2020 - 06h27 Desenvolvimento da fala
19/10/2020 - 07h00 Artrose nas mãos
18/10/2020 - 05h31 Mitos e verdades sobre o mau hálito
· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2020, UbaWeb. Direitos Reservados.