14/12/2018  17h07
· Guia 2018     · O Guaruçá     · Cartões-postais     · Webmail     · Ubatuba            · · ·
O Guaruçá - Informação e Cultura
O GUARUÇÁ Índice d'O Guaruçá Colunistas SEÇÕES SERVIÇOS Biorritmo Busca n'O Guaruçá Expediente Home d'O Guaruçá
Acesso ao Sistema
Login
Senha

« Cadastro Gratuito »
SEÇÃO
Economia e Negócios
28/11/2018 - 06h08
Você está preparado para o 13º salário?
Zack Miller
 

Mais um novembro chegou. Para uma parte dos gerentes e empreendedores brasileiros, ele significa apenas mais um mês do ano. Afinal, como na fábula da corrida entre a tartaruga e o coelho (*), estes profissionais souberam seguir estáveis em direção a seu objetivo, planejando mês a mês esse momento. Para outros, seja por falta de experiência, conhecimento, planejamento ou mesmo de caixa, é um dos momentos mais duros do calendário, no qual se deve honrar o pagamento da primeira parcela do 13º salário aos funcionários.

A aflição com esse compromisso é comum entre os empresários brasileiros (e também entre os governos). Uma pesquisa do Sebrae realizada em 2015 mostra que, naquele ano, 64% das empresas consultadas no Estado de São Paulo afirmaram que iriam conseguir pagar o 13º salário em dia; 5% não o conseguiriam; 30% não tinham empregados com direito ao 13º; já 11% delas recorreriam a empréstimos.

Essa verdadeira "descarga" de recursos é fundamental para o país. Nesse 2018, a economia local receberá uma injeção de R$ 211,2 bilhões até dezembro por conta do 13º salário, que deve ser pago a cerca de 84,5 milhões de brasileiros. O valor representa aproximadamente 3% do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Mas vamos ao que interessa:

O que fazer se você não se programou para o pagamento 13º salário?

- Respire, acalme-se e pesquise opções de crédito

De que adianta desesperar-se? Mantenha a calma e, com ela, procure no mercado as opções de crédito mais baratas e mais fáceis de serem pagas. Há bancos que oferecem financiamento específico para esse momento - fique atento para comparar taxas e checar se de fato valem a pena. A antecipação de recebíveis é uma saída bem mais barata, rápida e desburocratizada, desde que você tenha recebíveis a receber e possa contar com a falta deles no futuro. Fuja de dívidas com cartões de crédito ou de empréstimos bancários, pelos quais se cobram os mais altos juros do mercado.

- Pague seus funcionários em dia, evitando multas

A pior hipótese de todas é não cumprir com o compromisso. Isso gerará multas para você e uma tremenda onda de insegurança e de descontentamento entre seus funcionários. Lembre-se que empregados desmotivados podem ser mais nocivos ao negócio do que as dívidas.

Caso a empresa conte com valores investidos, vale a pena comparar o rendimento com a taxa cobrada por empréstimos. Talvez você conclua que a primeira é menor do que a segunda - e, assim, a saída mais inteligente é você utilizar esses recursos para honrar com o 13º. Nessa hora, o importante é minimizar a perda.

- Planeje bem o pagamento da dívida

Não permita que esse evento transforme-se no começo do endividamento da empresa. Aja rápido, mas reflita bem e prepare-se detalhadamente para pagar o crédito que tomou. Especialistas indicam que o melhor é você reduzir ao máximo o número de parcelas, para que não haja acúmulo de despesas para o ano seguinte.

- Comece a planejar o próximo ano

Medida óbvia - e seríssima! - dessa listagem: comece a planejar JÁ o 13º do próximo ano. Não em junho ou outubro: janeiro é a hora. Como você faz isso? É o que explicaremos a seguir.

Você está preparado para começar a planejar o 13º do ano que vem?

- Comece a partir de janeiro

Especialistas defendem com unanimidade: o melhor é iniciar o planejamento do pagamento do 13º já no primeiro mês do ano. Aliás, não apenas dele, pois é preciso levar em consideração que sobre ele incidirão impostos; além disso, é importante ter reserva para o pagamento de um terço proporcional de férias e, em caso de demissão, o das taxas respectivas. Por essa razão, muitos especialistas defendem que idealmente os negócios devem reservar um montante equivalente a 20% ou 25% do salário do funcionário a cada mês. Esse caixa é muitas vezes chamado de "reserva de RH". Lembre-se de que esse dinheiro, colocado à parte, pode ser aplicado, rendendo juros para seu negócio.

- Enxergue o 13º como uma despesa fixa

Não deixe de reservar o montante necessário para usá-lo para cobrir outras despesas. Seja forte! E não esqueça de considerar, quando for o caso, de reservar valores sobre comissões, adicionais etc.

- Esteja a par da lei e dos prazos

Está enganado quem acredita que o 13º é pago somente em dezembro ou em janeiro. Deve ser na verdade, depositado em duas parcelas, sendo a primeira, correspondente a 50% do valor, entre fevereiro e 30 de novembro; a segunda deve ser paga até o dia 20 de dezembro. Nesta aplicam-se os descontos cabíveis, como, por exemplo, o IR e a Previdência. Quem tem direito a comissões e adicionais deve recebê-los até o dia 10 de janeiro.

- Esteja sempre "íntimo" de seu fluxo de caixa

Caso preveja qualquer dificuldade com a aproximação do fim do ano, busque imediatamente opções de empréstimos ou de antecipação de recebíveis. Lembre-se de que o não cumprimento das obrigações pode gerar problemas legais, causando danos financeiros para o seu empreendimento e desânimo para seus funcionários.

Importante: tenha em mente que, mais do que o aspecto legal ou trabalhista, existe entre a empresa e o funcionário uma questão emocional. O 13º salário é aguardado com ansiedade pelos funcionários CLT (ou seja, contratados segundo a lei brasileira), os quais enxergam neste pagamento a solução para dívidas adquiridas ou a chance de realizar aquilo que não foi possível ao longo do ano, sejam férias familiares, seja a troca do carro.

Lembre-se disso e orgulhe-se por cumprir seu papel de empregador.

(*) Na fábula, a tartaruga, que por fim é a vitoriosa, realiza a prova com estabilidade e foco; já o coelho, sem planejamento, dispara aleatoriamente e esquece-se de planejar o futuro.


Nota do Editor: Zack Miller, Diretor Executivo de Crescimento (Chief Growth Officer) da Fintech WEEL.

PUBLICIDADE
ÚLTIMAS PUBLICAÇÕES SOBRE "ECONOMIA E NEGÓCIOS"Índice das publicações sobre "ECONOMIA E NEGÓCIOS"
12/12/2018 - 06h46 Final de ano - a organização em meio ao caos
11/12/2018 - 06h33 Mulheres para transformar o varejo
10/12/2018 - 07h55 Transformação da cobrança
08/12/2018 - 09h15 Os desafios do marketing B2B de serviços
06/12/2018 - 06h42 Lote é opção econômica na busca pela casa própria
03/12/2018 - 08h31 Seis orientações para fidelizar clientes






· FALE CONOSCO · ANUNCIE AQUI · TERMOS DE USO ·
Copyright © 1998-2018, UbaWeb. Direitos Reservados.